Quem somos?

Nota: Para fins práticos, embora conceitos como “socialismo” e “comunismo” tenham distintas definições dentro da tradição marxista, tomamo-los como sinônimos nesta curta apresentação.

ÍNDICE

INTRODUÇÃO

1. Nosso objetivo.
2. Critérios de publicação.
3. Qualidade literária.
4. Organização do blog.
5. Direitos autorais.
6. Contato.
7. Referências bibliográficas.

INTRODUÇÃO

A finalidade estratégica da propaganda comunista nos países latino-americanos — e em quaisquer outros — não é outra senão convertê-los em hospedeiros de uma revolução cultural que, gradual e silenciosamente, subverte os valores locais para engendrar as condições da tomada de poder por movimentos revolucionários de esquerda cuja agenda política é o marxismo-leninismo. O mecanismo dessa subversão cultural, pelo qual os agentes de difusão da propaganda comunista corrompem os valores nacionais, é a desinformação (cf. o item 1.1).

1. NOSSO OBJETIVO

Criado e mantido por uma equipe acadêmica brasileira da área de ciências humanas e filosofia, o projeto sem fins lucrativos Horror Vermelho destina-se a traduzir para a língua portuguesa documentação histórico-jornalística que expõe a natureza criminosa das políticas revolucionárias de esquerda no mundo — bem como revisar as traduções existentes —, contribuindo para quebrar a máquina de propaganda comunista ao mostrar as contradições entre esta e aquelas.

Como brasileiros, no entanto, impõe-se-nos o dever de dar maior ênfase à denúncia das políticas socialistas latino-americanas, especialmente às das revoluções socialistas cubana e venezuelana, devido à hegemonia relativa da propaganda mentirosa de seus governos em nosso país, cujo pernicioso bacilo infecta e transforma em idiotas úteis milhares de latino-americanos que, submersos na mais degradante miséria intelectual, tornam-se vítimas (ou consentidores) de estupro cultural por uma ideologia marxista terceiro-mundista alienante.

1.1. Características da propaganda comunista. Composta de dois atributos, ninguém menos que o próprio Lênin definiu melhor e em poucas palavras parte essencial do objetivo da propaganda comunista: “silenciar e ocultar a verdade”. [1] Por isso, em relação aos crimes do comunismo, sua função última consiste em “empregar todos os estratagemas” [2] para apagá-los da história documental e mentir sobre eles, do que se segue que a propaganda comunista é necessariamente desinformativa, e, por isso, deve ser combatida.

1.2. Combater a desinformação comunista. Assim, ao combater a propaganda comunista, nosso objetivo é exatamente o inverso do exposto acima, isto é, informar sobre os crimes contra a humanidade praticados pelas esquerdas socialistas no mundo, os quais estas tentam enterrar com suas vítimas e falsificar a fim de ludibriar a opinião pública — bem como eximir-se moralmente de sua responsabilidade por eles, seja por praticá-los ou apoiá-los.

1.3. Conservar a memória histórica. Como consequência, ao traduzir tal documentação — presente em quaisquer meios eletrônicos ou impressos: artigos de jornais, revistas, livros, vídeos etc. —, além de preencher grandes lacunas documentais em nosso idioma, trabalhamos para preservar a memória histórica, que, organizada segundo sua própria temática interna, tende a pintar um quadro verossímil de acontecimentos que a esquerda socialista não quer que sejam lembrados.

1.4. Difundir valores civilizacionais. Ademais, à medida que nos esforçamos para difundir conhecimento acerca de crimes contra a humanidade cometidos por movimentos políticos esquerdistas, esforçamo-nos também para difundir uma cultura de respeito aos direitos humanos, cujos princípios estão expostos na Declaração Universal dos Direitos Humanos de 1948. Dessa forma, dentre os valores civilizacionais que nos guiam podem-se citar: o Estado democrático de direito, a democracia representativa, as liberdades individuais e o livre mercado.

1.5. Por que traduções? Porque há um enorme vácuo de documentação online sobre os crimes do comunismo em língua portuguesa, já que a quase totalidade do que se publica sobre o assunto é escrita em outros idiomas — inglês e espanhol, principalmente — e não é reproduzida em português; porque a qualidade formal e material dos textos estrangeiros é amiúde superior à dos textos em língua portuguesa.

1.6. Contribuição cultural. Decerto, a condição para que haja contribuição de relevante valor cultural em certo idioma exige não só que o trabalho traduzido seja inédito, mas que também conserve tanto quanto possível a qualidade formal do original. De sorte que, em caso de tradução nossa de material para o qual já havia outra disponível — em razão da deformidade da segunda e da sua importância documental, julgamos necessário traduzi-lo novamente —, ainda assim teria havido contribuição de nossa parte, porquanto se satisfez sua condição suficiente; caso contrário, simplesmente a teríamos revisado e publicado neste portal, mantendo os créditos do tradutor.

2. CRITÉRIOS DE PUBLICAÇÃO

Os textos publicados neste blog são escolhidos, em sua maior parte, com base em seu valor informativo (VI) — fator que deve ser alto. Textos informativos são aqueles que desempenham papel ativo na guerra cultural iniciada pela esquerda revolucionária, isto é, textos cuja função principal consiste em neutralizar a desinformação proveniente de textos fabricados pelo maquinário propagandístico comunista.

2.1. Informação. No nível que nos interessa, uma informação é um juízo ou proposição que descreve — verdadeira ou falsamente, e com um grau de precisão qualquer — a forma empírica de um fato ou realidade. Em outras palavras, uma informação é a reconstituição linguística de um conteúdo de experiência.

2.2. Os elementos do texto informativo. A análise de um texto informativo (TI) revela a existência de dois atributos essenciais, a saber: um índice de correspondência aos fatos (ICF) e um potencial de neutralização da desinformação (PND).

2.3. Conteúdos dos elementos do TI. O ICF é a totalidade das unidades informativas que descrevem a forma dos fatos num dado texto; o ICF é alto se duas condições são satisfeitas: se e somente se as informações contêm descrições com elevado grau de exatidão dos elementos do real; se e somente se tais descrições são apresentadas de forma tal que não desconfigurem o(s) objeto(s) descrito(s) e/ou o(s) que o(s) abrange(m). Segue-se, por conseguinte, que um texto desinformativo é necessariamente um texto com baixo teor de ICF — demonstra-se assim por que a propaganda comunista é mentirosa por essência.

Já o PND se relaciona à eficácia com que a informação neutraliza a desinformação, efeito cuja causa reside na força propagandística do texto, definida pela conjunção das qualidades formal (estilo literário, técnica argumentativa, recursos retóricos etc.) e material (substrato empírico) da informação.

2.4. Fórmula do critério de publicação. Avalia-se, assim, o valor informativo (VI) de um texto a partir da soma do seu índice de correspondência aos fatos (ICF) a seu potencial de neutralização da desinformação (PND): VI = ICF + PND.

3. QUALIDADE LITERÁRIA

A fim de garantir qualidade literária e fidelidade aos textos, eliminando todos os possíveis erros, nossas traduções são frequentemente revisadas por nossa equipe técnica, e, por isso, sujeitas a alterações.

4. ORGANIZAÇÃO DO BLOG

Para facilitar o acesso do leitor ao conteúdo do blog, todos os nossos textos estão referenciados nas seções do menu principal localizado abaixo do cabeçalho do blog e na seção Páginas principais deste blog, localizada na coluna lateral direita. Em cada página principal os textos estão distribuídos conforme sua divisão temática.

5. DIREITOS AUTORAIS

O reprodução de qualquer conteúdo deste blog é permitida desde que previamente autorizada por nossos editores. Portanto, se há interesse em reproduzir algum conteúdo deste blog, solicite o pedido de permissão através do e-mail abaixo. A equipe Horror Vermelho agradece.

6. CONTATO

Entre em contato conosco pelo e-mail horrorvermelho@gmail.com.

7. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

[1] LÊNIN, I. V. A Doença Infantil do Esquerdismo no Comunismo. Maio de 1920. Disponível em: https://www.marxists.org/portugues/lenin/livros/sindicato/04.htm
[2] Ibidem.